em Notícias

Economista participou do Paraná TIC, o maior evento de tecnologia da informação e comunicação, e fez uma análise sobre o cenário econômico atual
Não vão faltar, nos próximos anos, oportunidades para o setor de tecnologia da informação e comunicação (TIC) no Brasil. A afirmação é do economista, Ricardo Amorim, do Programa Manhattan Connection, do canal Globo News, que falou na última terça-feira, dia 22, para empresários de Curitiba, durante a 3ª edição do Paraná TIC.

Organizado pela Associação das Empresas de Tecnologia da Informação do Paraná (Assespro-PR), Sebrae/PR e Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o Paraná TIC é considerado o maior evento do setor do Estado e segue até esta quarta-feira, dia 23, no pequeno auditório do Teatro Positivo, na capital paranaense.

Amorim contextualizou o momento econômico brasileiro e apresentou sua visão sobre as “oportunidades latentes” para o setor. “Com a alta dos salários e excesso de mão de obra, os empresários começam a buscar soluções que envolvam tecnologia, pois podem obter eficiência a um custo, muitas vezes, menor”, afirmou.

Quem ganha com isso, na avaliação do economista, é o setor de TIC, que precisa estar atento à realidade econômica. Amorim elogiou a iniciativa dos organizadores do Paraná TIC. “O conhecimento é a única coisa que leva a decisões empresariais melhores. Você só toma boas decisões se tiver boas informações e boa análise”, aconselhou.

Além de Amorim, também marcaram presença no evento o especialista em Marketing Digital do Google, Eduardo Hoofman; e o vice-presidente da Gartner, Maurício Othani, entre outras personalidades. Os especialistas são unânimes em destacar que o momento vivido pelo setor é ideal para se apostar em capacitação e em melhorias no nível de competitividade.

O evento

A evolução das empresas de TIC também foi destaque na abertura oficial do evento. O diretor de Gestão e Produção do Sebrae/PR, José Gava Neto, destacou o setor de TIC como estratégico para o desenvolvimento da economia regional e estadual. “É por essa razão que desenvolvemos ações de competitividade nos seis APL (Arranjos Produtivos Locais) do Estado, com ações focadas em inteligência competitiva e em certificação MPS-BR”, disse José Gava.

O diretor de Gestão e Produção lembra ainda que o Sebrae promove em parceria com a Assespro missões de benchmarking nacionais e internacionais, levando empresários para conhecer os principais ‘ecossistemas’ de TIC no mundo, como o Vale do Silício, nos Estados Unidos. “Agora, nosso desafio é o de transformar nossa realidade, nosso ‘ecossistema’ de TI no Estado e principalmente em cada região, para que comece a figurar nas pesquisas, como a startup genome, como um dos lugares mais propícios a se desenvolver empresas de TI no Brasil. Desafio nosso, porque não se trata de ação isolada de uma ou outra instituição e sim de um arranjo de atores no qual os empresários são peças fundamentais”, observa José Gava.

Em seu discurso, o presidente da Assespro-PR, Sandro Molés, falou sobre o principal objetivo da entidade para os próximos anos. “Somos representantes legítimos de um setor que se expande em ritmo acelerado e trabalhamos para que o Paraná seja reconhecido como polo de tecnologia no Brasil”, afirma.

O secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná, João Gomes, esteve no Paraná TIC e pontuou algumas das ações que o Estado planeja para a área de tecnologia da informação. “Trata-se de um setor de suporte e, por isso, merece toda a nossa atenção. Queremos fortalecer o segmento, com parcerias com universidades e acesso a linhas de crédito especiais para empresas da área”, pontuou o secretário.

O coordenador estadual do setor de TI do Sebrae/PR, Emerson Cechin, fez um balanço do evento. “Colocamos em discussão temas relevantes e trouxemos informações atualizadas ao público presente. Estamos satisfeitos com os resultados deste ano e a tendência é que o Paraná TIC se consolide cada vez mais”, concluiu Cechin.Sobre o Sebrae/PRO Sebrae/PR – Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná é uma instituição sem fins lucrativos criada nos anos 1970 para dar apoio aos empresários de micro e pequenas empresas e aos empreendedores interessados em abrir o próprio negócio. No Brasil, são 27 unidades e 800 postos de atendimentos espalhados de norte a sul. No Paraná, seis regionais e 11 escritórios. A entidade chega aos 399 municípios do Estado por meio de atendimento itinerante, pontos de atendimento e de parceiros como associações, sindicatos, cooperativas, órgãos públicos e privados. O Sebrae/PR oferece palestras, orientações, capacitações, treinamentos, projetos, programas e soluções empresariais, com foco em desenvolvimento de empreendedores; impulso a empresas avançadas; competitividade setorial; promoção de ambiente favorável para os negócios; tecnologia e inovação; acesso ao crédito; acesso ao mercado; parcerias internacionais; redes de cooperação; e formação de líderes.

Fonte: Sebrae/PR